Conhecimento existe quando é dividido

A pesquisadora Naomi Klein que é uma das referências em estudo de marca afirma que “o desejo de marcar-se, ser parte de uma comunidade, ser parte de algo maior que si mesmo é uma coisa profundamente humana que fazemos”.  No mundo cada vez mais submerso em informação e mudanças rápidas, o maior diferencial para um profissional é a credibilidade e a habilidade para fazer contatos.

Para demonstrar essas competências o profissional precisa comunicar-se. A internet levou a comunicação a um novo patamar, como afirma Klein, “não basta ter uma nova idéia, você tem de contar sua história, sua narrativa, a narrativa da sua marca”. E não há lugar mais propício para expor idéias hoje do que na internet.  Por meio de um blog, por exemplo, você pode divulgar seus pontos de vista, suas opiniões, demonstrar sua capacidade analítica e sua habilidade para concatenar idéias.

Várias instituições já estão tirando proveito dessas possibilidades trazidas pela internet para conhecer melhor a  “marca” dos seus funcionários. O Sebrae, por exemplo, exige que cada um dos 20 trainees tenham um blog e publiquem pelo menos um post por semana sobre sua experiência na instituição.

Da mesma forma que a instituição passa a contar com um novo instrumento de avaliação, os colaboradores passam a ter um novo espaço para “vender” suas idéias e contar suas histórias. Nesse ponto, o  blog passa a ser instrumento do marketing pessoal.

E o colaborador também ganha a oportunidade de apresentar competências que podem ser úteis à empresa em diversas áreas não somente naquele em que ele está lotado. A instituição passa a contar com uma espécie de banco de talentos. Por isso, é importante que o colaborador saiba aproveitar a ferramenta para tratar de diversos assuntos de que tem conhecimento e que não se restrinja somente ao trabalho que está desempenhando atualmente.

Como afirma Clóvis Barros Filho “não se trata de abordar algo já conhecido para nomeá-lo, e sim nomeá-lo  para que possa existir. A linguagem é causa da existência sua representação”. Em outras palavras, não adianta ter conhecimento e não compartilhá-lo, pois ele só passa a existir no momento em que é partilhado. Ferramentas não faltam!

Anúncios

2 pensamentos sobre “Conhecimento existe quando é dividido

  1. Mr Pedro,
    o conhecimento em rede certamente é um ganho dos tempos recentes. Com ele chegam também alguns problemas, como: constante aperfeiçoamento. Enquanto uma empresa inova e comunica, a concorrente consegue aprimorar a inovação (algo natural, chamado de queima de etapas do desenvolvimento tardio). Assim, o compartilhamento de um lado permite que o conhecimento ganhe escala e utilidade, por outro lado torna o ator anterior defasado…. poderia também ser chamado de processo de destruição criativa, mas o quanto isso não prejudica os novos inventores (envolvimento do registro de patentes)?

  2. Primeiramente, obrigado pelo comentário Mr.Hugo! Eu creio que a questão da patente ainda é fruto do pensamento privatista, que é anterior ao colaboracinismo que a rede trouxe. Acho que com o tempo, esse conceito de patente deverá ser repensado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s