Um mundo que se abre

Banco comunitário Palmas empresta a juros

Na semana passada, entre os dias 17 e 19 de novembro, foi realizado o II Fórum Banco Central de Inclusão Social. O Sebrae participou do evento como um dos organizadores e eu tive a chance de acompanhar os debates lá realizados. Porém, esse post não tem o objetivo de reportar o que foi discutido por lá.

Na verdade, eu gostaria de expressar minha alegria de ter participado do evento. Para mim, foi um ganho que transcendeu o campo profissional e ampliou minha visão de mundo. No campo da inclusão financeira, trabalha-se com o que se costuma chamar de “Brasil profundo”, ou seja, com a pobreza extrema.

Vou guardar para sempre a conversa de Sandra Magalhães, representante do banco comunitário Palmas, com o presidente Lula. Em sua fala, Sandra lembrou que o presidente havia visitado o banco Palmas antes mesmo de ser eleito para seu primeiro mandato.

O presidente em seu discurso retomou a lembrança e comentou que o banco havia lhe dado um cartão com crédito de R$15. Sandra logo corrigiu “foi de R$ 20, presidente” e acrescentou: “a gente deu crédito máximo para o senhor”.

Esse diálogo me fez refletir que há diversas  comunidades no país como a do conjunto Palmeira (Fortaleza/CE), sede do banco Palmas, onde R$20 representa uma quantia significativa para as famílias, que ao ter acesso a esse dinheiro, podem, por exemplo, garantir a comida dos filhos por uma semana.

Por isso, muito além dos conhecimentos técnicos, a participação no Fórum representou para mim um ganho de humanidade. O colega André Dantas costuma comentar que os trainees não devem ser treinados para atuar em unidades determinadas, mas para trabalhar em qualquer área do Sebrae. Posso dizer que esse evento me tornou não só um profissional mais capacitado, mas também um ser humano mais consciente, me “capacitou” para a vida.

A cobertura do II Fórum Banco Central de Inclusão Financeira está disponível no blog Pequenos Negócios e Finanças.

Abaixo dois vídeos. O primeiro sobre o Banco Palmas e o segundo, uma reportagem da TV NBR sobre o Fórum.

Anúncios

Um pensamento sobre “Um mundo que se abre

  1. Pedro, uma bela experiência mesmo. Parabéns pelo aprendizado. Na minha primeira visita técnica ao interior de Minas Gerais (microrregião Unaí), pude conhecer o Município de Chapada Gaúcha e ter contato com o Banco Chapadense. Acredito que é uma iniciativa semelhante ao Banco de Palmas, com direito a moeda própria, que visa gerar e manter os recursos dentro do próprio município.
    http://www.fbb.org.br/portal/pages/publico/expandir.fbb?codConteudoLog=7251
    http://www.mg.agenciasebrae.com.br/noticia.kmf?canal=698&cod=10014281&indice=30

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s