Ei, Governo, tira a mão do meu salário!

Por que o governo tributa o salário? Temos no Brasil uma imensa lista de impostos: IPTU, IPVA, PIS, CONFINS, IPI, IOF. Mesmo aqueles que incidem sobre empresas acabam sendo em parte repassados aos consumidores embutido no preço dos produtos.

O Governo taxa o salário dos trabalhadores por meio do imposto de renda para, supostamente, investir no desenvolvimento do país. Porém, isso é uma medida arbitrária, pois se o trabalhador recebesse seu salário integralmente, poderia ampliar o consumo, injetando dinheiro nas cadeias de fornecedores de serviços e mercadorias e assim promovendo o crescimento das empresas e, consequentemente, do país.

Não haveria prejuízo algum por parte do Governo que continuaria arrecadando dinheiro por meio do aumento do consumo. Quanto mais produtos e serviços vendidos, maior a faixa tributável.

Como afirma Carrilho et al, “os impostos alteram as decisões das pessoas em relação ao consumo”, ou seja, se o trabalhador recebesse seu salário integral, poderia consumir mais, injetando capital na economia. Mas, então, por que o Governo não retira a taxação do salário? Por preguiça!

O desconto na folha é automático e o repasse é feito de forma mais simplificada, então, o Governo prefere taxar assim em vez de investir em outros meios de aumentar a arrecadação.

Segundo os estudiosos citados, “a política de arrecadação de recursos do país está longe de atingir um grau satisfatório, uma vez que foca suas atividades no aumento de impostos e despreza meios mais eficientes como o combate à sonegação e o alargamento da base de incidência dos impostos”.

Além disso, por conta da falta de eficiência da burocracia estatal e da corrupção, grande parte da parcela retirada do salário dos trabalhadores não retorna à sociedade em forma de serviços públicos de qualidade. O dinheiro acaba, então, se concentrando na mão de poucos e não fomentando a economia como deveria.

Pense na seguinte situação, você é um assalariado que mora em Cacaulândia (RO), parte do salário é tributado pela Receita Federal para financiar políticas públicas pelo país. O que acontece se Cacaulândia não for beneficiada por essa política? O município terá perdido uma parcela de recursos que poderiam estar nas mãos de seus habitantes, sendo gasto com as empresas da cidade e contribuindo com a economia local.

Conclusão, o imposto de renda deve focar o capital especulativo e não produtivo, o que não é o caso do salário.  Desoneração da folha salarial já!

Se você é a favor do fim da tributação sobre o salário, compartilhe esse texto!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Ei, Governo, tira a mão do meu salário!

  1. Oi pedro, li alguns posts seus achei muito bacana, você é inteligente pra caralho velho…
    Tenho 20 anos to querendo fazer uma facul pensei em eng. civil pois sei que da dinheiro somente por isso, só que me interesso muito por esses artigos de economia.
    Sei que não é um jeito adequado de entrar em contato contigo mas não sabia outra maneira (:

    • Lander, primeiramente, muito obrigado pela visita e pelas palavras elogiosas. Fico feliz de saber que os artigos são úteis.

      Você deve fazer um curso com o qual você se identifique, senão, você vai passar 5 anos sofrendo na faculdade. Vale mais a pena você escolher um curso com o qual você tenha afinidade e possa se aprofundar. Assim, você será um profissional muito mais motivado e qualificado.

      Volte sempre! Você é muito bem-vindo!

  2. Pingback: Feliz aniversário, Ron Paul! | Província do palpite

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s