Talentoso displicente x Ordinário dedicado

“Eu não tenho ídolos, tenho admiração por trabalho, dedicação e competência”, Ayn Rand.

No seu livro “Transformando suor em ouro“, Bernado Rezende, o Bernardinho, afirma que uma pessoa consciente de sua limitação, dedicada e disciplinada pode alcançar postos melhores do que uma talentosa, mas displicente.

Bernadinho usa a própria trajetória como exemplo, ele também lembra o caso de Cafu, que foi reprovado em oito peneiras, mas persistiu e acabou campeão de duas Copas do Mundo, uma delas como capitão. Enquanto isso há pessoas extremamente talentosas que desperdiçam oportunidades por falta de comprometimento.

Para mim, o personagem que melhor exemplifica a importância do trabalho duro e da dedicação, e que é pouco lembrado, é o Belletti, lateral reserva de Cafu na Copa de 2002. Ele não é um cara talentoso, mas soube entender o contexto e aproveitar uma baita oportunidade.

Originalmente, Belletti jogava de meio campo, porém percebendo que a seleção tinha uma carência na lateral direita, ele decidiu mudar de posição. Isso, no entanto, não bastava. Ele precisava se superar. Foi o que fez. Supriu a falta de técnica com um excelente preparo físico e muito treino.

Logo começou a se destacar, conseguiu uma convocação e uma transferência para o futebol europeu pra jogar no Celta de Vigo. Belletti também foi beneficiado, porque suas primeiras convocações aconteceram em um momento delicado da seleção, quando muitos jogadores decidiram não mais servir o time nacional. O lateral entendeu que se aceitasse representar o seleção em uma situação desfavorável, abriria espaço para ser chamado mais a frente.

Dessa forma, Belletti acabou convocado para a Copa do Mundo de 2002, sagrando-se campeão. Sua história de sucesso, no entanto, não se encerrou ali. Algumas pessoas podem argumentar que o jogador participou de apenas poucos minutos durante apenas um jogo do campeonato mundial.

Essa argumentação perde a validade no dia 17 de maio de 2006 em Paris, na final do maior campeonato de clubes do planeta, a Liga dos Campeões da UEFA, quando Belletti marcou, aos 36 minutos do 2º tempo, o gol do título do Barcelona sobre Arsenal da Inglaterra. Aquele era momento de coroação de um jogador nada brilhante, mas muito aplicado e comprometido.

Conto a história da carreira de Belletti para mostrar que não é preciso ser um virtuose para alcançar sucesso na carreira. Se você acha que não tem dom algum, não desanime, com esforço, dedicação e consciência das próprias limitações, você pode, por meio de trabalho duro, ter um caminho de muitas realizações. Então, mãos a obra que as oportunidades estão logo ali e só aproveita quem está preparado!

Inspire-se:

Anúncios

Taxa selic, poupança e copa do mundo – o cidadão em segundo lugar

Na última semana, o Banco Central baixou a taxa selic para 8,5% ao ano. A selic vem caindo desde 2010 e chegou a seu patamar mais baixo. Esse processo é interessante pelo lado pedagógico, por evidenciar a importância de uma taxa de juros mais razoável.

Contudo, a forma como se chegou a esse nível é totalmente insustentável, tanto que muitos analistas já prevêm que em 2013 a selic voltará a subir e passará dos 10%. É por meio dessa taxa que o governo capta recursos no mercado para se financiar.

Como o estado não para de crescer, as pessoas percebem que ele precisará de mais dinheiro para se sustentar, então, como a demanda tende a aumentar, o juro tende a subir novamente.

Para remediar esse problema, o governo decidiu indexar a selic com a poupança. Dessa forma, se a selic desce abaixo de 9% o rendimento da poupança passa a ser de 70% da taxa. Muitos analistas tentaram explicar que as perdas para os poupadores serão mínimas.

Esse procedimento foi adotado para que as pessoas não deixassem de financiar o governo e colocassem seu dinheiro na poupança, onde ele seria mais rentável.

Ou seja, a decisão foi de reduzir o ganho dos pequenos poupadores e não de diminuir os gastos públicos. Dessa forma, os cidadãos são duplamente punidos, pois além de ganharem menos com a poupança, ainda têm que destinar quase um terço dos seus rendimentos para pagamento de tributos.

Enquanto isso, o tribunais de contas e o Ministério Público indicam que o orçamento da Copa já superou em dez vezes o planejado e que o torneio no Brasil será mais caro que as últimas três copas juntas. O governo custeará 99% desses custos. Como ele não é capaz de produzir dinheiro, adivinhe quem vai pagar?

 

A abertura da Copa está sendo comprada?

Joseph Blatter e Jerome Vaclke

Essa semana, Jerome Valcke, secretário geral da FIFA, afirmou em e-mail que o Catar comprou a Copa de 2022. Antes do e-mail de Valcke, dois conselheiros da federação foram afastados pelo comitê de ética: Mohamed bin Hammam, do Catar, e Jack Warner, de Trinidad e Tobago.

As evidências de corrupção ficaram tão gritantes que os principais patrocinadores da instituição exigiram que o presidente Joseph Blatter concedesse uma entrevista coletiva para esclarecer os casos.

Diante de tantas mostras de corrupção, a demora para o anúncio oficial de qual cidade será sede da abertura do Copa de 2014 no Brasil parece um janela aberta para suborno. Não é absurdo imaginar que políticos e empresas das potenciais sedes estejam agindo no modus operandi da FIFA e já tenham desembolsado muito dinheiro para “comprar” o direito de abrir o campeonato mundial.

Na minha opinião, a única saída idônea seria  o presidente do Comitê Organizador Local (COL)  bater o martelo logo sobre essa questão. Contudo, sendo este Ricardo Teixeira, que, segundo a emissora inglesa BBC, teria sido obrigado a devolver dinheiro de suborno, torna-se pouco crível que a disputa (e sua respectiva capitalização) pela abertura da Copa se encerre de forma rápida e transparente.

Gerenciador Financeiro para estabelecimentos Cama e Café

Como todos sabemos, o Brasil será sede de grandes eventos nos próximos cinco anos, como a Copa do Mundo, as Olimpíadas, os Jogos Militares entre outros. Um setor que estará aquecido nesse período será o de turismo.

Porém, tanto o Comitê Olímpico Internacional, quanto a FIFA, já fizeram ressalvas com relação ao número de leitos disponíveis no país. Uma solução para a ampliação do número de meios de hospedagem pode ser a disseminação dos estabelecimentos Cama e Café.

Segundo o Ministério do Turismo, esse tipo de meio de hospedagem se caracteriza por ser oferecido em residências, com no máximo três unidades habitacionais, para uso turístico, em que o dono more no local, com café da manhã e serviço de limpeza.

Para que os estabelecimentos Cama e Café possam aproveitar a oportunidade dos grandes eventos, será necessário que eles aprimorem sua gestão. Foi desse ponto que surgiu a ideia do meu projeto aplicativo no Sebrae.

O objetivo é criar um gerenciador financeiro com linguagem acessível, adaptado para as necessidades desse segmento. Dessa forma, os empreendedores podem administrar melhor as finanças do estabelecimento, gastar menos e investir mais dinheiro em melhorias das instalações e dos serviços.

O gerenciador financeiro seria oferecido por meio do Portal do Sebrae. Além disso, seria feito um levantamento sobre o número de meios de hospedagem Cama e Café pelo Brasil, para que o produto seja desenvolvido de acordo com as necessidades do público-alvo.

O projeto foi inspirado no software AcompanhEI, desenvolvido pelo Sebrae-DF e no programa Restaurante Inteligente, que é desenvolvido pelo Sebrae Nacional em parceria com a Abrasel.

Confira algumas vantagens do modelo Cama e Café: