Um Oscar para um filme de 6 minutos!

paperman

A Disney disponibilizou na internet o desenho Paperman, que está concorrendo ao Oscar de melhor curta metragem filme de animação. A película tem vários ingredientes que a tornam uma ótima aposta para o prêmio da academia este ano.

Primeiramente, o fato de estar disponível de graça na internet, o que colabora para alcançar um público maior. A popularidade pode influenciar os julgadores na hora da escolha do agraciado. Além disso, há aspectos técnicos interessantes:

1) Trata-se de um curta metragem, pouco mais de 6 minutos de filme;

2) É um filme mudo e em preto e branco, o que, como mostrou “O Artista” – último vencedor do Oscar de melhor filme – agrada os jurados;

3) Por fim, a animação lança uma técnica que mistura computação gráfica com ilustrações feitas à mão, o que dá um toque meio artesanal e soa inovador diante do juri.

Eu particularmente já estou torcendo para Paperman! E você?

Assista abaixo o filme completo

Anúncios

O jornalismo brasileiro precisa de âncoras

Will McAvoy, âncora do “The Newsroom”

O seriado americano “The Newsroom” (criado pelo roteirista do filme “A Rede Social”, Aaron Sorkin) estreou no Brasil no último domingo na HBO (assista o trailler AQUI). Ele conta a história de uma equipe que tenta reformar um telejornal, baseado nas áreas de economia e política e nas opiniões do âncora Will McAvoy.

Em sua coluna na Folha de S.Paulo, Maurício Stycer analisou as experiências de âncoras no telejornalismo brasileiro. Segundo o articulista, as iniciativas não tiveram muito sucesso, apesar do pioneiro Boris Casoy ainda comentar as notícias no Jornal da Band.

Stycer, no entanto, esqueceu de um caso recente de âncora que vem se mostrando razoavelmente promissor na minha opinião. A jornalista Raquel Sherazade, que na época trabalhava no jornal paraibano Tambaú Notícias, ganhou notoriedade depois que um vídeo seu criticando a festa de Carnaval alcançou mais de dois milhões de acessos no Youtube (assista AQUI). A resposta dela à repercussão do primeiro vídeo também chegou perto da marca de um milhão de visualizações (veja AQUI).

Raquel Sherazade, âncora do jornal do SBT

O sucesso dos comentários foi tão grande que Silvio Santos a chamou para ancorar o Jornal do SBT. As opiniões de Sherazade continuaram a ganhar projeção na internet. Três vídeos já passaram das 500 mil exibições e outros tantos de 300 mil. Dessa forma, ela consegue superar possíveis barreiras de audiência da emissora e aumentar a amplitude do seu trabalho.

A popularidade de diversos blogs demonstra o interesse dos leitores não só pela notícia, mas pela análise e até pela tomada de partido do articulista. Independentemente de concordarmos ou não com os argumentos de um âncora, os pontos de vista nos ajudam a formar nossa opinião.

Outro ponto importante, a meu ver, é que quando o jornalismo assume uma posição clara, ele resolve o problema da imparcialidade. Muitos pesquisadores de mídia já demonstraram a impossibilidade de realizar um noticiário neutro, tendo em vista que todo ser humano é influenciado de alguma forma. Ao tornar visível o seu posicionamento, o âncora proporciona mais clareza ao telespectador.

A popularidade de Sherazade é um indicativo de que o público aprova esse formato. Contudo, o SBT, por não ser a principal emissora do país, tem liberdade para testar novos modelos e para permitir que a jornalista expresse seus pontos de vista de forma mais incisiva. Agora, é esperar para ver se o sucesso da âncora vai influenciar as duas principais emissoras do país.

Assista abaixo dois vídeos de Sherazade:

 

Texto publicado no “Observatório da imprensa”.

O que o Barcelona pode ensinar ao mundo corporativo

Todos ficaram admirados com a exibição do Barcelona na final do Mundial de Clubes do último domingo, quando o time catalão goleou o Santos por 4X0. Entendo que as qualidades esportivas da equipe já foram bem destacadas por vários especialistas. Gostaria aqui de mostrar as lições que o Barça pode ensinar ao mundo corporativo.

1 – Estratégia bem definida

O Barcelona sabe exatamente o que fazer, qual o melhor caminho para colocar seu esquema de jogo em ação, qual a função de cada jogador e o que fazer em cada situação. No domingo, quando o Santos pressionou, o time não perdeu o controle, tocou a bola e esperou os espaços aparecerem.

2 – Formação de talentos

O Barcelona possui uma filosofia de jogo que valoriza  a posse de bola. Essa forma de jogar é ensinada desde as categorias de base e os jovens estão sempre em ação jogando pelo Barcelona B na 2ª divisão espanhola e, muitas vezes, tem chances de disputar partidas pelo time profissional. Por isso, que, em certo momento da decisão do Mundial, nove dos onze jogadores em campo eram formados no próprio clube. Essa clareza no estilo da equipe também facilita na hora de buscar reforços, pois o clube passa a conhecer melhor o perfil do atleta que ele deseja. 

3 – Retenção de talentos

Um grande desafio enfrentado por muitas empresas é a retenção de talentos. O Barcelona proporciona um ambiente tranquilo para que os jogadores possam ter mais qualidade de vida. Um exemplo, enquanto o time do Santos estava concentrado sem poder ver os familiares, os jogadores catalães puderam dormir com suas esposas e sair para passear na véspera do jogo. Alguém imagina que o Barça tenha que armar um esquema milionário para segurar Messi no time como o Santos fez para não perder Neymar?

4 – Paciência e clareza de objetivos

Esses dois aspectos devem sempre andar juntos. Se sua empresa tem uma meta clara e um planejamento sólido, vai conseguir superar momentos de dificuldade e retomar o caminho do sucesso. Em 2009, o Barcelona perdeu a semifinal da Liga dos Campeões para a Inter de Milão. Na época, todos diziam que José Mourinho, técnico do time italiano, tinha encontrado o antídoto para o jogo da equipe espanhola. Hoje, quem ainda sustenta essa tese? Muitos diziam que o time havia perdido por privilegiar o bom futebol e não ser competitivo e parte da imprensa pediu a saída do técnico Guardiola. Porém, a direotria acreditou no trabalho de longo prazo e agora colhe os resultados.

5 – Importância do treinamento contínuo

Antes da final contra o Santos, o técnico do Barcelona assistiu 20 horas de vídeos de jogos do time praiano. Dessa forma, ele pode conhecer muito bem seu concorrente, analisar seus pontos fortes e evitar que ele explorasse as fraquezas de seu time. Essa é, na minha opinião, a lição mais valiosa. Algumas vezes, como na semifinal entre Santos e o time japonês, o talento individual sozinho resolve. Porém, para apresentar aquele espetáculo de jogo coletivo, com troca de passes precisa e troca de posições constante, é preciso praticar muito.

Essa lição o Barça aprendeu na derrota contra a Inter. Em entrevista ao jornal El País, o meia Xavi disse que, na decisão contra o Internacional, faltou alguém que cobrasse mais empenho nos treinamentos e muitos jogadores acabaram ficando acomodados. Desde aquele jogo, o time passou a dar mais ênfase também à preparação física e à consistência tática, deixando o talento de Messi e companhia como cereja do bolo.

6 – Inovação

Por fim, destaco um último aspecto: a inovação. O Barcelona tem um jeito único de jogar, um esquema tático que anula o time adversário e garante excelentes resultados. O melhor é que esse estilo de jogo está em constante evolução. Basta comparar o Barcelona de Ronaldo Fenômeno, de Rivaldo, de Ronaldinho Gaúcho e de Messi. Você verá claramente que o time vai se aprimorando a cada ano e agregando mais uma forma nova de se armar. Na final contra o Santos, Guardiola montou o time sem nenhum centroavante, com vários jogadores de meio de campo cumprindo esse papel. Isso dificultou muito a marcação do time brasileiro que acabou perdido em campo. Quem inova estará sempre um passo a frente!

O marketing inovador de Obama

Uma notícia chamou a atenção esta semana. Na próxima quarta-feira (20), às 20h45 (horário de Brasília), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, responderá a perguntas sobre inovação enviadas por usuários do Facebook em todo o mundo.

Com certeza, o carismático (e midiático) presidente norte americano receberá milhões de questionamentos de todas as partes do planeta, querendo ouvir suas ideias inovadoras. Porém, há algo suspeito. Quais conhecimentos extraordinários possui Obama para se colocar como um papa da inovação? O evento é ainda mais questionável, se pensarmos que o mandatário acabou de sofrer uma derrota no Congresso, depois de negociar por semanas uma tregua com parlamentares republicanos. Além disso, sua imagem de pacifista ficou prejudicada pela intervenção polêmica na Líbia.

Outro ponto a se observar é que Obama lançou-se recentemente candidato a reeleição. Não duvido que ele tenha pessoas muito capacitadas em sua equipe, que sejam até mesmo referência em inovação. É até uma sacada legal aproveitar o carisma do presidente para promover o tema. Entretanto, o evento parece, neste momento, estar muito mais para o lado do marketing do que para o da ciência e da tecnologia. O que não deixa de ser uma grande inovação!

Semana hipermidiática

A Universidade Corporativa tomou a decisão de inovar e realizar a Semana de Capacitação por várias mídias. Foi criado um hotsite do evento, uma página no Facebook, um perfil no Twitter e a hashtag #semanadecapacitação, além de disponibilização de material no blog da UC (http://ucsebrae.blogspot.com/) e de mensagens via SMS com provocações para instigar os colaboradores.

Como toda novidade, essa experiência multi-midiática apresenta algumas falhas, a linguagem das diversas mídias às vezes não casa e pode ocorrer um excesso de informações. Porém, ela tem um grande mérito. A partir do momento que o Sebrae passa a divulgar seu maior evento presencial pelas mídias sociais, ele está dando chancela para que esses meios sejam incorporados à rotina do Sistema.

Esse primeiro passo é um ponta pé para a disseminação de uma cultura colaborativa, que tem interfaces com a nova sede e suas paredes de vidro, com os blogs dos trainees, a campanha de clima organizacional, entre diversas outras iniciativas.
Essa postura coloca a instituição na vanguarda das empresas brasileiras e, se for mantida, tende a elevar a qualidade de trabalho no Sebrae substancialmente!

A cultura da transparência abriga desafios ainda maiores, porém mais recompesadores!

Abaixo interessantes reflexões sobre o nvoa cultura trazida pelas redes sociais ao meio corporativo:

Inovando na prática

Boa noite, pessoal. Essa semana, estou testando uma inovação aqui no blog: o videopost! Para conferir o resultado dessa experiência, basta dar play no vídeo abaixo!

PS.: Tá um pouco escuro, mas acho que a mensagem foi transmitida!

Abaixo a primeira parte da palestra de Luli Radfahrer: