O valor de um Pelé genuíno

Não seria mais legal ver Pelé comemorar o título vestido assim?

Escrevi na semana passada criticando o fato de Pelé ter usado um terno vermelho durante a comemoração do título santista na Libertadores da América, por conta de uma exigência do seu patrocinador, o Banco Santander.

Alguns leitores discordaram da minha opinião (o que é totalmente legítimo). Porém, gostaria que ficasse claro que em nenhum momento eu disse que Pelé não tem direito de ganhar dinheiro com sua imagem. Também não questionei as conquistas do Rei como jogador de futebol.

A grande questão é que Pelé é um dos atletas mais procurados por empresas para patrocínios. Então, acho que ele poderia negociar melhor os termos de seu contrato para torná-lo mais flexível.

Sinceramente, qual torcedor santista não preferiria ver Pelé entrar em campo com a camisa do time em vez de entrar com um terno vermelho? Já pensou ele comemorando o título com uma réplica do uniforme utilizado no campeonato de 1962? Depois, o Santander poderia utilizar essa imagem para mostrar que ele valoriza a essência do futebol. Na minha opinião, daria um retorno maior e os torcedores que acompanharam o título santista em 1962 ficariam felizes com o momento nostálgico.

O fato do Pelé ter entrado com o terno vermelho não é ilegal, só ofuscou um momento que poderia ser mais bem aproveitado. O Rei é uma figura de retorno imenso na mídia e, por isso mesmo, não precisa se submeter dessa forma ao patrocinador.

Para fechar essa discussão, gostaria de ressaltar que o fato de Pelé ter feito história no futebol não o torna uma pessoa inquestionável. Ele é um ser humano. Por isso, é falho, como todos nós.

O marketing inovador de Obama

Uma notícia chamou a atenção esta semana. Na próxima quarta-feira (20), às 20h45 (horário de Brasília), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, responderá a perguntas sobre inovação enviadas por usuários do Facebook em todo o mundo.

Com certeza, o carismático (e midiático) presidente norte americano receberá milhões de questionamentos de todas as partes do planeta, querendo ouvir suas ideias inovadoras. Porém, há algo suspeito. Quais conhecimentos extraordinários possui Obama para se colocar como um papa da inovação? O evento é ainda mais questionável, se pensarmos que o mandatário acabou de sofrer uma derrota no Congresso, depois de negociar por semanas uma tregua com parlamentares republicanos. Além disso, sua imagem de pacifista ficou prejudicada pela intervenção polêmica na Líbia.

Outro ponto a se observar é que Obama lançou-se recentemente candidato a reeleição. Não duvido que ele tenha pessoas muito capacitadas em sua equipe, que sejam até mesmo referência em inovação. É até uma sacada legal aproveitar o carisma do presidente para promover o tema. Entretanto, o evento parece, neste momento, estar muito mais para o lado do marketing do que para o da ciência e da tecnologia. O que não deixa de ser uma grande inovação!

Site Especial de Acesso a Serviços Financeiros

Menu "quando buscar recursos"

Quando cheguei à Unidade de Acesso a Serviços Financeiros (UASF), o gerente Alexandre Guerra deixou claro que meu objetivo principal era começar a implementar o Site Especial de Acesso a Serviços Financeiros. Foi um grande desafio.

O antigo site tinha um enfoque mais institucional, minha missão era aproximá-lo mais do público do Sebrae, tornar a linguagem mais acessível. O primeiro passo foi pensar em uma estrutura mais voltada para o atendimento, mas que mantivesse uma parte institucional para os parceiros da unidade. Junto com o analista João Augusto Pérsico e a jornalista Fernanda Peregrino, fechamos uma estrutura.

A partir daí, veio, para mim, a parte mais trabalhosa. Selecionar os textos para preencher a estrutura. Tive de ler mais de 99 páginas de textos, visitar sites de Sebraes estaduais e muitas vezes criar novos textos.

O resultado poderá ser visto em março, quando o site será lançado. Contudo, apresento aqui um dos menus do site, chamado “quando buscar recursos”. Para mim, ele tem um valor especial, pois foi o primeiro a ficar pronto e passou a ser modelo para os demais. Muitas características foram agregadas como a criação de um texto introdutório, o uso de vídeos e de programas de rádio e a seleção de texto mais próximos das necessidades dos empreendedores.

Durante minha passagem pela unidade, 80% do site foi concluído. Porém, dois produtos, que demandarão um pouco mais de tempo, serão ainda desenvolvidos antes do lançamento do portal.

Para mim, foi uma experiência muito engrandecedora, que possibilitou que eu tivesse contato com diversos outros colegas que são responsáveis por outros sites especiais. Pude sentir que há grande expectativa com relação ao site de Acesso a Serviços Financeiros e acredito que o portal irá atender ao que se espera.

Agradeço a todos os analistas UASF, que realizaram a revisão técnica do site, agradeço muito à jornalista Fernanda Peregrino, que sempre me ajudou e me orientou com relação aos requisitos necessários para cada página. Agradeço ainda ao colega André Dantas, que divulgou o documento de detalhamento do site, que produzi e ao colega Pérsico por confiar nas minhas habilidades e por me dar liberdade para criar.

Vale ressaltar que a passagem pela UASF me possibilitou muitas outras oportunidades, como trabalhar com outros veículos da unidade, como o boletim de crédito e boletim UASF, quando tive uma orientação muito atenciosa do colega André Dantas. Fico extremamente grato por poder ter ajudado e por terem confiado no meu trabalho. Saio da unidade me sentindo muito mais preparado para contribuir com o Sebrae. Obrigado, UASF!

Quanto vale uma história?

A pesquisadora Naomi Klein afirma que marca não é publicidade, marca é o fim da publicidade. Isso significa que a marca deve carregar uma história, uma causa. A marca por si só é apenas um sinal gráfico.

Quanto mais convincente e atrativa for a história que sua marca carrega, maior será o valor dela. Um bom exemplo é o clube de futebol espanhol Barcelona.

A agremiação fechou o maior patrocínio da história do futebol com a ONG Qatar Foundation. Para ter sua marca estampada na camisa do Barcelona, a entidade pagará 30 milhões de euros (R$75 milhões) por ano durante cinco temporadas.

Mas por que uma instituição pagaria tanto por um espaço numa camisa de um time de futebol? Para poder associar sua marca à história do clube.

O Barcelona é o time dos catalães, grupo que busca a independência da Espanha. Além disso, o clube estabeleceu um esquema tático que valoriza a posse de bola e a habilidade de seus jogadores e o ensina desde as categorias de base.

E tem mais: no início da temporada 2006/2007, o presidente do clube, Joan Laporta, assinou uma parceria com o Fundo das Nações Unidas para Infância – UNICEF. Desde então, o Barça  PAGA para ter o nome da UNICEF na camisa.

Camp Nou, palco do Barcelona

É por tudo isso que no escudo do time está escrita a frase “més que un club” (mais que um clube). E foi por essa história que a Qatar Foundation abriu seus cofres ao Barcelona.

Esse fato pode ser refletido para nós trainees, quanto vale nossa história? Temos realizações que nos valorizam?

Sebrae deve seguir o modelo da Embrapa

Nesta terça, o publicitário Nizan Guanaes destacou em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo o papel da Embrapa como produtora de inovações.

Acredito que o Sebrae tem todo o potencial de tornar-se referência em empreendedorismo e gestão de MPE, como é a Embrapa para a agricultura e a pecurária.

Em uma reunião, um colega comentou que muitos empreendedores buscam o Sebrae somente quando querem abrir o negócio, mas não usufruem dos serviços da entidade depois que a empresa passa a funcionar. Nesse período, os empresários passam a consultar mais o advogado e o contador.

Acredito que essa situação pode ser resultado da excelência de produtos do Sebrae que incentivam o empreendedorismo, como o Desafio Sebrae. O cidadão acaba conhecendo apenas parcialmente a papel da instituição.

Pesquisa do Sebrae mostrou que a principal fonte de informação dos empreendedores são os contadores, o Sebrae aparece somente em terceiro lugar, atrás ainda de amigos e familiares.

Acho que é necessário um esforço cada vez maior para disseminar os demais serviços da entidade e mostrar que o Sebrae pode ser um parceiro constante das MPE. Esse processo já teve início com o desenvolvimento e a divulgação de uma série de produtos voltados para empresas com mais de dois anos no mercado, chamado Sebrae Mais. Contudo, essa iniciativa deve ser ainda mais aprofundada, principalmnte no tocante à gestão financeira das empresas, que hoje é um ponto crítico.

Desenvolver cada vez mais inovações em todos os campos ligados à administração de empreendimentos e, principalemente, fortalecer e divulgar a existência desses produtos com um marketing orientado e uma padronização de lingugaem é o caminho para que o Sebrae torne-se um pólo de inovação, como é atualmente a Embrapa.

Conheça o Sebrae Mais:

Para refletir

Pesquisa do  economista e professor do Ibmec-RJ Sérgio Ferreira Guimarães estima que a “indústria” do tráfico de drogas emprega até 16 milhões de pessoas no Rio de Janeiro. São mais “empregados” do que a Petrobrás tem no estado.

O Plano Plurianual do Sistema Sebrae 2011 -2013 aponta que em 2010 as importações cresceram 45,1% e as exportações apenas 28,9%. Por esses números, é possível indicar que há mais produtos internacionais sendo consumidos no país. Se pesquisas recentes do PNAD indicam aumento do poder de compra do brasileiro, vê-se que esse potencial não tem sido plenamente aproveitado para expandir o mercado interno.

Fazendo um link entre o primeiro e o segundo parágrafo, é possível dizer que, se há mais mercadorias sendo produzidas fora do país, há menos trabalhadores brasileiros envolvidos na cadeia produtiva. Consequentemente, há menos postos de trabalho abertos no país. Pessoas desempregadas podem ficar mais sucetíveis à criminalidade.

Logo, o trabalho do Sebrae, ao disseminar o empreendedorismo, pode ser uma porta de entrada para que as pessoas, hoje “empregadas” pelo tráfico, entrem no mundo da legalidade. Vale lembrar que as micro e pequenas empresas são as maiores geradoras de postos de trabalho no Brasil. Fica a reflexão…