Livros, muitos livros!

Pessoal, o Sebrae está sorteando uma mini-biblioteca com 20 livros sobre empreendedorismo e desenvolvimento territorial. O resultado sai no dia 1º de setembro. Para concorrer precisa fazer três passos: 1 – Curta a página do Sebrae no Desenvolvimento Territorial no Facebook (http://www.facebook.com/udt.sebrae). Se você já curtiu, basta seguir os passos seguintes; 2-  Compartilhe esta nota em seu mural; 3-Comente essa nota, avisando que você compartilhou o conteúdo. #ficaadica

Anúncios

Pesquisa traça perfil mundial do empreendedorismo

A Global Entrepreneur-ship Monitor , a pesquisa GEM, é realizada há 11 anos, desde 1999. Ela traz diversos dados sobre o empreendedorismo ao redor do mundo. No Brasil, o Sebrae é um dos principais realizadores do estudo, que ajuda a entender os principais gargalos para os empreendedores, as qualidades e os entraves do ambiente de negócio para o segmento, as razões pelas quais as pessoas empreendem dentre outros dados valiosos.

Para ler a pesquisa é só clicar aqui!

Conhecer a trajetória!

Durante os oito meses do programa de trainee, pude entender a importância do treinamento focado em um objetivo institucional. O Sebrae deseja ter analistas cada vez mais alinhados com a cultura da empresa e por isso elaborou um programa de treinamento de jovens recém formados para selecionar perfis compatíveis com a instituição.

Ao meu ver, o sucesso dessa experiência precisa ser ampliado. É necessário mapear processos e criar critérios claros para a ascensão na carreira dentro da empresa, deixando claro quais são os conhecimentos que a instituição valoriza para cada cargo.

Essa definição, além de deixar claro os desejos da empresa, proporciona autonomia e clareza para que o empregado possa tomar decisões sobre sua carreira. Dessa forma, ganha a empresa, que mantém em seu quadro profissionais que querem “vestir a camisa”, e ganha o trabalhador, que, com base nas possibilidades de ascensão profissional oferecidas, pode decidir se a instituição realmente contempla seus objetivos.

Esse processo com certeza vai impactar a qualidade do atendimento oferecido ao cliente do Sebrae, pois ele terá à disposição empregados mais motivados e alinhados com a missão da empresa. Dessa forma, fortalece-se a imagem institucional!

Etel, uma supertutora!

Hoje, estou aqui para prestar uma homenagem, um tanto quanto tardia, mas super merecida a minha tutora Etel Tomás. Chamá-la de MINHA tutora é só forma de falar. Etel é daquelas pessoas magnéticas que está sempre disponível para ajudar a todos. Tanto que não foram poucas as vezes que a dividi com outros amigos trainees (com todo o prazer, diga-se, pois acho que Etel deveria ser tutora do Sebrae).

Ela sempre ouviu minhas angústias. Porém, um dos fatos mais emocionantes para mim foi durante a apresentação do projeto aplicativo. Pouco antes do início da apresentação, Etel, do alto de toda sua representatividade no Sistema Sebrae, me disse que “sempre estará na minha platéia”.

É daqueles momentos que te tiram as palavras. Não saberia como responder. A felicidade e o orgulho de ouvir àquelas palavras foi fantástico. Com todo respeito pelos outros tutores, não existe ninguém melhor que a Etel para te mostrar realmente o que é o Sebrae. A paixão dela é contagiante! Foi um imenso prazer tê-la como tutora. É uma amiga para o resto da vida! Serei pra sempre seu fã!

Neste vídeo, você pode ter o privilégio de saborear os ensinamentos da Etel:

Momentos que marcam!

Faço uma pausa nas formas alternativas de postagem e retorno a velha e boa palavra escrita para falar sobre momentos que marcam nossa vida. Estamos nas últimas e derradeiras semanas do programa de trainee, o número de entrega sobe exponencialmente, assim como a expectativa da casa com relação a qualidade.

Por isso, a apresentação dos blogs, como bem relatou a amiga trainee Camila, foi gratificante pelo surpreendente impacto positivo causado aos presentes. Os elogios brotavam de forma inesperada, potencializada talvez pela humildade com que nos dedicamos à apresentação, buscando aprimorar os pontos falhos indicados pelo colega Paulo Volker.

Contudo, como diz o próprio Paulo, nossa trajetória deve equilibrar a vaidade despertada pelos elogios e a autocrítica necessária, para que sempre caminhemos no caminho da excelência. Devemos lembrar que quanto mais qualidade apresentarmos, maior será o padrão de exigência sobre o grupo.

Já mencionei aqui no blog antes que eu sinto que todo trainee representa o grupo. Então, a apresentação de segunda foi marcante para mim, pois o formato que adotamos exigia que ela fosse consumida como um inteiro, sem foco nas individualidades. Foi realmente um produto de trabalho colaborativo!

Para assistir à apresentação acesse o blog da Camila : http://sebraecamila2.wordpress.com/

Inovando na prática

Boa noite, pessoal. Essa semana, estou testando uma inovação aqui no blog: o videopost! Para conferir o resultado dessa experiência, basta dar play no vídeo abaixo!

PS.: Tá um pouco escuro, mas acho que a mensagem foi transmitida!

Abaixo a primeira parte da palestra de Luli Radfahrer:

Responsabilidade dividida

Na última sexta-feira, enquanto muitos se preparavam para curtir o Carnaval, os trainees apresentavam no auditório as experiências que tiveram nos estados. Foi uma viagem por diferentes Brasis! Assim como existem vários Brasis, existem vários Sebraes. Uma colega disse que um desafio do Sebrae é transformar suas soluções em um Jornal Nacional, ou seja, tentar oferecer produtos semelhantes em todos os estados.

Para mim, ficou muito claro o papel do Sebrae Nacional dentro do sistema. Nós devemos funcionar como um fonecedor e também como indutor. Para isso, é preciso estar cada vez mais próximo das unidades estaduais, para desenvolver soluções que sejam ainda mais efetivas.

Na minha apresentação, por querer destacar alguns pontos críticos, acho que acabei sendo injusto com o Sebrae Nacional. Se há às vezes problemas de comunicação, não se pode debitar tudo na conta do Nacional. Algumas vezes, gestores da ponta reclamam de falta de atenção, mas não buscam o Nacional, esperam ser procurados.

Ouvir é se tornar co-responsável

O colega Paulo Volker, que foi incumbido de nos avaliar, disse uma frase muito certeira. A partir do momento em que tivemos contato com a realidade dos Sebrae/UF e ouvimos suas necessidades, nos tornamos responsáveis pelas soluções. Se a situação não mudar, significa que nossa visita não foi efetiva. Por isso, me sinto agora encarregado de ser o porta voz do Amapá no Sebrae Nacional e tentar lembrar a realidade do estado em cada projeto que eu participar.

Futuro promissor!

Durante as duas últimas semanas, eu acompanhei o gestor do projeto de desenvolvimento territorial de Pedra Branca e Serra do Navio, no estado do Amapá, Reginaldo Macedo. Pude participar de reuniões nas comunidades para definir o plano de ações para 2011.

O projeto tem origem em um convênio entre o Ministério Público do Amapá e o Sebrae. Pelo acordo, o Sebrae ficou responsável por administrar R$ 2 milhões, oriundos de um termo de ajustamento de conduta (TAC) aplicado à mineradora MMX, e assumido pela empresa Anglo Ferrouz que, posteriormente, incorporou o MMX de Pedra Branca.

Esse recurso deu origem a vários projetos, principalmente nas comunidades mais isoladas dos dois municípios atendidos. Diversos benefícios já foram conseguidos, como acesso a internet, capacitação profissional, construção de pequenas fábricas, entre outros.

O objetivo do processo de desenvolvimento territorial é criar ambiência para o desenvolvimento de micro e pequenas empresas. Muitas vezes as comunidades não possuem o mínimo de condição para poderem empreender e acabam perdendo oportunidades.

Nesse período, pude perceber a importância do trabalho do Sebrae na interiorização do desenvolvimento. Uma das reuniões mais marcantes para mim foi a da comunidade de Pedra Preta, no município de Serra do Navio. A localidade abriga uma das paisagens mais lindas que eu já vi. A associação de moradores é um exemplo do poder da organização social. Eles já conseguiram acessar vários programas federais, principalmente na área de cultura. Lá existe um cinema itinerante, uma pequena biblioteca e até um grupo de teatro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O próximo passo é desenvolver o turismo, aproveitando as potencialidades locais. Já está planejada a construção de um muro de arrimo e de dez chalés. A beleza do local é tanta que é difícil descrevê-la em palavras. Por isso, eu filmei e fotografei. Confiram! É maravilhoso!

Local da reunião do projeto de desenvolvimento territorial na comunidade de Pedra Preta

Paisagem em Pedra Preta

EI, formailize-se com responsabilidade!

Em 2010, os empreendedores individuais representaram 55% das novas empresas. Formalizar um negócio ficou muito fácil. é possível fazê-lo em cinco minutos por meio do Portal do Empreendedor. Um exemplo de desburocrtização.

Porém, a realidade conta uma história menos bonita. Há muita gente que não tem perfil para tocar um negócio e mesmo assim se formaliza. Há pessoas que nem tem ocupação ainda, apenas uma vontade, e mesmo assim abrem uma empresa, esquecendo-se que há obrigações a cumprir, como o pagamento de impostos.

Uma outra situação grave, que pude presenciar no muncípio de Pedra Branca do Amaparí-AP, é o uso do instituto do empreendedor individual (EI) como forma de precarização dos contratos trabalhistas. Um contador influente do muncípio está tentado convencer a prefeitura local a formalizar todos os empregados como EI, como forma de desonerar a folha de pagamentos.

Essa situação configura sublocação de mão de obra e está em desconformidade com a lei. O Sebrae-AP já está atento a essa movimentação e prepara uma série de reuniões para conscientização dos empregados da prefeitura de Pedra Branca.